HOME PAGE

O QUE TODO EDUCADOR PRECISA SABER...

 

A utilização do lúdico no diagnóstico psicopedagógico

 

No diagnóstico psicopedagógico a atividade  lúdica é um rico instrumento de investigação clínica, pois permite ao sujeito expressar-se livre e prazerosamente. 

Constitui para o terapeuta importante ferramenta de observação sobre a simbolização e as relações que ele estabelece com o jogo. 

Possibilitando assim, a formulação de hipótese a serem comprovadas, ou não, posteriormente.

Esse procedimento encontra-se fundamentado na psicanálise, mais especificamente nos princípios da associação livre (Freud, 1900).

  Jogar e aprender, caminham paralelamente na psicopedagogia, podemos através da hora lúdica ou hora do jogo, observar prazeres, frustrações, desejos, enfim, podemos trabalhar com o erro e articular a construção do conhecimento.

  Destacamos a seguir alguns pontos relevantes propostos por alguns autores acerca da  hora lúdica:

·    Aberastury propôs na análise da sessão ludo-diagnóstica verificar qual a fantasia inconsciente da enfermidade e da cura, expressa pela criança. Assim, mesmo sendo utilizada como um instrumento inicial  no tratamento psicoterápico , visa contribuir para formulações de hipóteses diagnósticas.  

·    Para O campo, a hora-lúdica acabou servindo, à medida que a experiência clínica se ampliou, como ponto de partida e de chegada para uma conclusão diagnóstica.  

·    Efron et alii(1976,) oferecem indicadores para análise tais como: modalidade de jogo, motricidade, criatividade, capacidade simbólica, tolerância à frustração, etc...

       Isto é, uma sistematização de itens com  fins diagnósticos e prognósticos, sendo que o uso ou não de interpretações está intimamente relacionado à experiência clínica do terapeuta. A preocupação do terapeuta deve ser a de criar condições ótimas para que a criança possa expressar-se livremente, colocando-se na posição daquele que procurará, a partir de um vínculo transferencial breve, conhecer e compreender a criança, priorizando para tal, a observação.

 

 

Nós psicopedagogos, que temos como foco o processo de aprendizagem, podemos acrescentar ainda à essa análise, as modalidades de aprendizagens, ritmo, as áreas de expressão da conduta, o funcionamento cognitivo, os tipos e modos de  erros, os hábitos adquiridos, as motivações presentes, as ansiedades, defesas e conflitos em relação ao aprender, além das relações vinculares com os objetos de conhecimento escolar em particular.

Portanto,  fica evidente o seu valor para ajudar o sujeito a reconstruir seu espaço transacional e ressignificar seu sintoma.

No diagnóstico psicopedagógico é o lúdico que seve para indicar como aquele sujeito se relaciona com o aprender. Como , por exemplo, as regras do jogo são seguidas ou descumpridas. 

E, desta forma, o psicopedagogos vai estabelecendo hipóteses sobre  a modalidade de aprendizagem do sujeito , o que vem a ser o objetivo do diagnóstico psicopedagógico.

 

Texto coletivo elaborado pelas alunas do Curso de especialização em Psicopedagogia Clínica ,da Universidade Vale do Rio Verde de Três Corações, MG

 

Guestbook:

(Livro de Visitas)

Deixe sua Mensagem!

 

Copyright © 1998-2003 ANA LÚCIA Home Page. Todos os direitos reservados